26.5 C
Brasília
quarta-feira, abril 24, 2024

ANUNCIE

Bolsonaro está em campanha, adverte Fronzaglia

Manifestações partidárias tomaram as ruas nessa quarta-feira (15/05) para protestar contra o projeto de “corte” (contingenciamento) na educação pretendido pelo governo, tendo à frente o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Em meio à escalada das manifestações, o presidente Jair Bolsonaro, em visita ao ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, em Dallas, chamou os integrantes das revoltas de “idiotas úteis”, dizendo que eram “massa de manobra de uma minoria da esquerda” e que “não sabem a fórmula da água”.

A fala de Bolsonaro repercutiu na mídia nacional e internacional, no momento mais crítico para o governo desde a posse em janeiro. Para o cientista político da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Mauricio Fronzaglia, a reposta aos movimentos pelo país mostra que o governo “permanece em campanha”.

“Algo básico, que faz parte da estrutura dos problemas, é que o governo Bolsonaro parece permanecer em campanha. Quando se faz campanha política, necessariamente se parte para o confronto – a menos que se faça alianças. Você tem adversários e a lógica é vencê-los. E a partir do momento que a campanha se torna governo, no entanto, é preciso partir para a governabilidade”, diz.

“Desse ponto em diante, é preciso fazer política; no sentido de política pública, de ação governamental. A ação de fazer política é a de criar consensos provisórios. É necessário conseguir negociar e ter acordos. Quando o presidente [Jair Bolsonaro] e o ministro [Weintraub] partem para o confronto e agridem os adversários, fecham as portas ao diálogo. É uma renúncia ao ato de governar”.

(Assessoria de Imprensa Universidade Presbiteriana Mackenzie)

relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Fique conectado

667FãsCurtir
756SeguidoresSeguir
338SeguidoresSeguir
- Publicidade -spot_img

Últimos artigos