25.5 C
Brasília
segunda-feira, junho 24, 2024

ANUNCIE

Bancada do agro cobra ação ao ministro da agricultura

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) da Câmara dos Deputados recebeu, nesta quarta-feira (22), o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, para discutir as prioridades da pasta para 2024. A reunião, solicitada pelo presidente da CAPADR, deputado Vicentinho Júnior (PP-TO), contou com a participação ativa dos integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que fizeram diversas cobranças importantes para o setor agropecuário brasileiro.

O deputado Vicentinho Júnior aproveitou a ocasião para anunciar sua saída da presidência do colegiado, destacando a importância da comissão para o desenvolvimento do agronegócio brasileiro. “A CAPADR tem os melhores consultores que esta casa pode oferecer em soluções para o nosso país”, afirmou Vicentinho. Ele também ressaltou a necessidade de respeito ao direito de propriedade rural, enfatizando a recente aprovação do PL 709/23 que protege os proprietários contra vandalismo e invasões.

Evair de Melo (PP-ES), que sucederá Vicentinho na presidência da CAPADR, elogiou o trabalho de seu antecessor e destacou os desafios que enfrentará à frente da comissão. “Para mim, será um desafio imenso dado a responsabilidade da pauta legislativa construída aqui”, afirmou o parlamentar.

Cobranças e demandas da FPA

Tião Medeiros (PP-PR) destacou a importância do status sanitário da febre aftosa para o Brasil e cobrou mais ações do ministro. Ele também manifestou preocupação com a situação do Rio Grande do Sul, que sofreu com enchentes. “Embora eu seja paraense, me solidarizo com a situação do Sul. O Paraná tem uma dívida muito grande com os gaúchos”, disse o parlamentar, sugerindo a inclusão do Rio Grande do Sul no Programa Nacional de Conversão de Pastagens Degradadas (PNCPD).

O deputado Sérgio Souza (MDB-PR) destacou a importância do Ministério da Agricultura na economia brasileira e questionou as consequências da quebra de safra. “Isso trará um impacto muito grande na economia brasileira e no emprego. O produtor rural está com dificuldades de pagar suas contas”, afirmou Souza. Ele também enfatizou a necessidade de juros mais atrativos no novo Plano Safra e defendeu a inclusão do Seguro Rural dentro dos recursos do Tesouro Nacional, sem contingenciamento.

O deputado Afonso Hamm (PP-RS) defendeu os agricultores gaúchos, expressando receio com uma possível importação de 1 milhão de toneladas de arroz, tida como excessiva ante os 7,3 milhões produzidos no Rio Grande do Sul. “Quando faltar, lá na frente, quando terminar o estoque, quem sabe em janeiro ou fevereiro. Isso traz uma angústia, uma preocupação e inclusive um grande prejuízo”, pontuou o parlamentar. O ministro Fávaro respondeu que a importação será avaliada conforme as perdas da safra atual e garantiu que o volume importado será controlado para evitar especulação e proteger os produtores brasileiros.

relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Fique conectado

667FãsCurtir
756SeguidoresSeguir
338SeguidoresSeguir
- Publicidade -spot_img

Últimos artigos